Você está em MG

Cruzeiro tem chances matemáticas irrisórias de Libertadores e rebaixamento

A oito jogos do fim do Brasileiro, clube celeste tem poucas pretensões no campeonato

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 14/10/2012 18:27 / atualizado em 14/10/2012 20:54

Gilmar Laignier /Superesportes

Euler Junior/EM/D.APress

A torcida cruzeirense terá um fim de ano melancólico. Isso porque, a oito rodadas do final do Campeonato Brasileiro, o time tem chances irrisórias de classificação à Libertadores e também praticamente já se salvou do rebaixamento à Série B.

Matematicamente, ambas as situações ainda são possíveis, mas é algo muito improvável. De acordo com o site Chance de Gol, especializado em cálculos matemáticos no futebol, a chance de o Cruzeiro ser rebaixado é de 0,2%, e de classificar à Libertadores é de 0,02%. O clube celeste está 13 pontos acima da zona da degola e 12 pontos abaixo do G-4.

Critérios da Sul-Americana

É provável que o Cruzeiro se classifique para a Copa Sul-Americana. Porém, a CBF mudou os critérios para participação no torneio em 2013. Isso porque a Copa do Brasil terá 86 clubes no ano que vem, incluindo participantes da Libertadores, e será disputada por um período extenso.

As oitavas de final coincidirão com o início da Copa Sul-Americana, portanto as equipes que estiverem ainda disputando a Copa do Brasil não participarão do torneio internacional. Dessa forma, estarão classificados à Sul-Americana os oito mais bem colocados do Brasileirão de 2012 que não estiverem nas oitavas de final da Copa do Brasil. Os participantes da Libertadores entram na Copa do Brasil diretamente nas oitavas de final.

Se as oito vagas brasileiras na Sul-Americana não forem preenchidas por clubes que fiquem no máximo até a 16ª colocação no Brasileirão, os quatro primeiros da Série B têm direito às vagas. Se eles também estiveram nas oitavas da Copa do Brasil, os rebaixados da Série A 2012 passam a ser os representantes no torneio internacional.