RSS Twitter Contato

Minha Conta:

Esqueceu a senha?
  • (0) Comentários
  • Votação:

Míssil desafia trono de Cielo

Ameaça ao reinado do brasuca nas duas provas mais velozes da piscina vem da terra do canguru. Australiano Magnusson é mais rápido do ano

Renan Damasceno - Estado de Minas

Publicação:

23/03/2012 07:00

“Preparem-se”. O aviso nada modesto é do australiano James Magnussen, que venceu as seis provas que disputou na seletiva de seu país para os Jogos Olímpicos de Londres e, de quebra, registrou as melhores marcas da temporada nos 50m (21s74) e 100m (47s10) livre, as duas provas mais rápidas da natação. Aos 20 anos, o Míssil, como é conhecido, desbancou os tempos de Cesar Cielo e desponta como principal pedra no caminho do brasileiro, recordista mundial das duas distâncias e favorito ao ouro nas piscinas londrinas.

Campeão mundial dos 100m livre em Xangai’2011, Magnussen nadou debilitado por infecção recente no peito, que lhe tirou o sono por 10 dias, segundo seu treinador, Brant Brest. Apesar disso, o jovem ficou a apenas 19 décimos do recorde mundial de Cielo (46s91), obtido no Mundial de Roma’2009, ainda com os supermaiôs. O tempo do australiano é a quarto da história e seria suficiente para lhe dar o ouro em Pequim’2008 – o francês Alain Bernard foi campeão com 47s21 e Cielo dividiu a terceira posição com o norte-americano Jason Lezak (47s67).

“Vou mais confiante para Londres. As pessoas vão prestar atenção. Estou muito surpreso. Não tenho certeza de onde essa velocidade vem, mas estou muito contente com ela”, comentou Magnussen. Campeão também da seletiva dos 50m livre, ele vai representar a Austrália ao lado do ex-recordista mundial Eamon Sullivan, que ficou em segundo.

Magnussen não é o único James no caminho de Cielo nos 100m livre. Igualmente australiano de 20 anos, James Roberts, conhecido como o Foguete, fez o segundo melhor tempo da seletiva (47s63), o mesmo que deu o ouro a Magnussen no Mundial de Xangai.

PROVA MAIS RÁPIDA Apesar de seu tempo de 2012 ter sido batido, Cielo é favorito nos 50m livre. Campeão olímpico e mundial e recordista da distância, o paulista da Santa Bárbara d’Oeste foi ouro no Sul-Americano de Esportes Aquáticos, na semana passada, em Belém, com 21s85, melhor tempo antes da seletiva australiana que consagrou Magnussen.

Outro rival do brasileiro ainda vai decidir sua ida a Londres em junho, na forte seletiva norte-americana. O jovem Nathan Adrian é o terceiro mais veloz da temporada, com 21s94. No Brasil, Cielo tem Bruno Fratus como rival. O compatriota fez o melhor tempo nas eliminatórias do Mundial de Xangai, no ano passado, mas acabou fora do pódio na decisão. Fratus tem a segunda vaga brasileira na prova para a Olimpíada e o sexto melhor tempo do ano (22s13).

Dois problemas a menos

Rivais de Cesar Cielo em Pequim’2008, os franceses Alain Bernard e Frédérick Bousquet não darão dor de cabeça ao brasileiro nos 100m livre dos Jogos Olímpicos de Londres. Ontem, na cidade francesa de Dunquerque, os dois falharam na seletiva olímpica de seu país e não conseguiram vaga no principal evento do esporte. O jovem Yannick Agnel, de 19 anos, e Fabien Gilot, medalha de prata em Pequim no revezamento 4x100m livre, serão os representantes.


Bernard é o atual campeão olímpico dos 100m livre. Conquistou o título da prova (47s21), com o australiano Eamon Sullivan (47s32) em segundo e Cielo em terceiro, empatado com o norte-americano Jason Lezak (47s67).
Ontem, Bernard fez apenas o quinto tempo (48s97). Agnel foi campeão (48s02), seguido por Gilot (48s38). O campeão olímpico ainda tem chance de ser incluído na equipe francesa do revezamento 4x100m, vice-campeã em Pequim. Em declaração ao diário francês L’Equipe, ele disse que a decepção era muito grande.


A derrota do ex-recordista mundial Frédérick Bousquet foi ainda mais vexatória. Penúltimo colocado, com 49s17, ele detinha o recorde mundial da prova mais rápida da natação (20s94) até ser batido por Cielo, que fez 20s91 no Open de Natação, em São Paulo, em dezembro de 2009. Depois de frustrada a expectativa nos 100m livre, Bernard e Bousquet ainda vão tentar o índice na eliminatória dos 50m livre.

Sempre pode haver surpresa

Cesar Cielo é franco favorito nos 50m livre na Olimpíada. Além da força física, conta muito o psicológico dele, que faz a diferença nos últimos 10% da prova. Mas, por ser uma disputa muito rápida, decidida em fração de segundos, sempre pode ter surpresa. Alain Bernard, que ainda não se garantiu, caiu muito de produção com a proibição dos supermaiôs e não vejo outro capaz de bater o brasileiro. Nos 100m livre, é um pouco mais complicado. James Magnussen tem feito bons tempos desde o ano passado e é o rival a ser batido.

 

No geral, vai ser uma Olimpíada muito diferente da de Pequim, onde os nadadores ainda estavam conhecendo o traje. Depois do boom dos recordes de 2009, só agora os nadadores estão baixando tempos. Muita surpresa está por vir.

Comentar notícia

Verificando informações

Esta matéria tem:

(0) comentário(s)

Não existem comentários ainda


Blogs e Colunas