Mais Esportes

BIKE BEAT

Com pneus extragrandes, as fat bikes ganham adeptos em trilhas e no meio urbano

Adotado originalmente nas areias do deserto e na neve, o modelo oferece mais estabilidade ao ciclista em terrenos instáveis

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 06/03/2015 17:56 / atualizado em 06/03/2015 18:04

Maíra Nunes

Breno Fortes/CB/D.A Press

Há seis meses, o técnico em contabilidade e ciclista Flávio Henrique Lucena, 37 anos, é alvo de olhares curiosos ao pedalar pelo Distrito Federal. “Às vezes, até quando estou no meio de uma trilha, o pessoal quer me parar para perguntar sobre a bicicleta que uso”, confirma. O espanto se deve aos pneus, de largura bem maiores que o usual. As medidas variam entre 3,7 e 4,8 polegadas (9 a 12cm), sendo que um pneu comum de mountain bike, por exemplo, tem cerca de duas polegadas (5cm).

As fat bikes, como são chamadas, começaram a rodar na década de 1980. Os pneus mais largos permitiam passar por terrenos mais instáveis, como pisos arenosos, onde as tradicionais mountain bikes apresentavam dificuldades. A maior superfície de contato com o solo nas fat bikes evita que as rodas atolem. Adotada inicialmente no calor dos desertos, a variedade atraiu esportistas em localidades bem mais frias. Isso porque as “bici gordas”, como são conhecidas na Espanha, se adaptam muito bem à neve. Assim, gradativamente, esse tipo de bicicleta foi sendo difundido pelo mundo.

“Nunca tinha visto uma dessas em Brasília antes de conhecer o modelo na internet, mas o tamanho dos pneus realmente me chamaram a atenção”, conta Flávio. Ele passou mais de um ano namorando a fat bike virtualmente até o equipamento chegar nas lojas da capital. Assim que Flávio a viu exposta numa vitrine, não pensou duas vezes e trocou a mountain bike de elite que tinha por uma das novas bicicletas. “Eu arrisquei e sou apaixonado por ela. Posso até comprar outras depois, mas, hoje, não abro mão dela”, admite.

Sobre dois pneus enormes, qualquer obstáculo no trajeto do pedal torna-se mais fácil de ser vencido. “Com uma bicicleta dessa, não é preciso ficar desviando. Brinco que ela alisa o que tem de buraco pela frente”, observa Flávio. No Brasil, as fat bikes chegaram como bicicletas voltadas ao lazer, e não somente para pessoas mais competitivas.


Prazerosas
Na visão de Flávio, que pedala em trilha na companhia de amigos há cinco anos, as fat bikes são muito prazerosas e solucionaram um dos desconfortos que ele enfrentava em terrenos instáveis. “Sempre tive dificuldade em descidas mais íngremes e com muita pedra solta. Com a fat bike, resolvi isso, sinto-me bem mais seguro”, argumenta.

A calibragem baixa dos pneus — de 5 a 12 libras — é outra curiosidade do modelo, característica que também proporciona maior aderência ao solo. O equipamento tem em torno de 15kg, peso semelhante ao de modelos comuns e mais acessíveis de bicicleta, mas superior ao de uma mountain bike de alto rendimento.