RSS Twitter Contato

Minha Conta:

Esqueceu a senha?
  • (1) Comentários
  • Votação:

Flamengo

Nascidos na Era Digital, torcedores de Flamengo e Vasco querem paz no clássico, mas provocam rivais

Gabriel Vasconcellos - Super Rádio Tupi

Publicação:

04/12/2011 13:34

 

Atualização:

04/12/2011 15:21

Gabriel Vasconcellos/Super Esportes
Renato Croce, flamenguista, e Pedro Maranhão, vascaínos, mostram que a rivalidade é apenas dentro de campo
O mundo já teve várias Eras e Idades. Atualmente, a Era Digital é onde vivemos e, os jovens deste tempo vivem um mundo de interações através da internet e redes sociais como nunca antes visto no planeta. Claro, a paixão dos centenários Flamengo e Vasco também chegou aos tempos modernos e, muitos fanáticos e torcedores comuns, dividem seus amores e agonias com o mundo através da internet.

Mas alguns deles foram além e, criam mecanismos de interação entre a própria torcida. Blogs, Twitters, comunidades, tudo criado em nome de uma paixão e, por amor aos seus clubes, esses torcedores passaram a usar as ferramentas de internet para interagir com os torcedores, dividir opiniões e divulgar seus clubes através dos olhos de um apaixonado.

O Super Esportes escolheu dois blogs conhecidos e respeitados pelas suas torcidas e chamou os fundadores para um bate-papo sobre tecnologia e paixão, futebol e, claro, provocação sadia. Pedro Maranhão é fundador do blog Repórter Colina e Renato Croce, do Fla Manolos. Além das provocações normais entre flamenguistas e vascaínos, os torcedores falaram também da responsabilidade de falar sobre seus times, paixões e como provocar o rival sem criar confusão e pregar a paz nas ruas e nos estádios. Confira abaixo esse bate-papo com a nova geração de torcedores de Flamengo e Vasco, escolhidos para representar milhões de jovens que neste domingo estarão torcendo pelo seu clube de coração e conectados com o mundo, vão dividir emoções, opiniões e criticas:

Da onde surgiu a ideia de criar um blog para falar do seu clube de coração, mostrar o lado do torcedor para o próprio torcedor?

Pedro Maranhão:
Tudo começou a um ano atrás quando eu estava no terceiro ano da escola, formando meu sonho de ser jornalista e achei que essa era uma maneira de mostrar meu amor pelo Vasco, escrevendo, colocando vídeos, tudo direto de São Januário e também, uma ferramenta para mostrar meu potencial, o que eu posso fazer. Então, criei o blog, twitter, canal no youtube e acabei criando esse personagem que cresceu um pouco, o Repórter da Colina e, isso é muito bom porque eu posso interagir um pouco com a torcida e tudo mais que esse personagem pode fazer e, isso me abriu muitas portas e eu estou cada vez mais interagindo com o torcedor e apaixonado pelo Vasco.

Renato Croce: Eu sempre tive vontade de ajudar o Flamengo de alguma forma, tentei ser jogador, mas depois que o meu time tomou três gols em cima de mim e eu com zagueiro, abandonei e fiquei traumatizado (risos). E sempre procurei uma forma de ajudar e, quando eu comecei a entrar no mundo da Internet e ver como tudo funcionava é que eu vi que eu poderia fazer alguma diferença e ajudar de alguma forma. Foi então que eu criei o blog e comecei a falar de Flamengo, expor minhas opiniões e, me surpreendi muito porque é uma responsabilidade gigantesca falar de Flamengo, paixão de milhões e milhões de pessoas. Primeiro porque tem o compromisso com o clube e tudo para o bem do Flamengo e, ao mesmo tempo você tem que lidar com criticas e opiniões diferentes.

Como é a sensação de pegar pela primeira vez como blogueiro um clássico decisivo como esse, logo no Brasileirão?

PM: Tem sido uma semana bem agitada, nervosa, porque esse ano o Vasco voltou a ser protagonista, a brigar por todos os títulos. Quando eu criei o blog, em agosto de 2010, nós não estávamos brigando por muita coisa e meu papel era meio que incentivar a torcida, para apoiar em 2011. Esse ano a gente começou mal, os primeiros clássicos esse ano o Vasco estava perdendo e, depois chegou essa turma nova, do Diego Souza, Eder Luís, Ricardo Gomes e, nós vivemos um clássico importante no fim do campeonato e foi para os pênaltis e, infelizmente não vencemos. E, agora com a vitória na Copa do Brasil, essa trajetória no Campeonato Brasileiro, esse vai ser, sem dúvida o clássico mais importante na trajetória do Repórter Colina. É importante incentivar o time, a torcida, a não-violência, porque futebol é paz e alegria.

RC: creio que é o momento de maior audiência do blog, não só pela final para o Vasco e pelo jogo decisivo para o Fla na Libertadores, mas o clássico já repercute muito, seja no futebol, vôlei ou xadrez. Então, a galera sempre procura muito, pesquisa muito no blog, no início da semana, tivemos quase mil visitas, apenas em um post sobre o Flamengo e Vasco lá do Campeonato Carioca, que o Fla ganhou e logo depois o Vasco deu de nove a zero no América.
Gabriel Vasconcellos/ Super Esportes
Clima de provocação antes do jogo decisivo deste domingo

Como é ser blog de torcida, provocar, mas não incitar a violência?

PM: Isso é complicado, porque isso depende mais da interpretação do torcedor. Eu posso até estar sendo mais tranquilo, mas vai ter torcedor que vai achar aquilo ruim, que vai xingar, vai querer partir para cima, mas isso acontece. O jeito é não incentivar a violência, procurar uma provocação sadia, uma coisa mais tranqüila, coisa de torcedor mesmo. O negócio é brincar, futebol é isso, sem zuação ao torcedor rival não tem graça.

RC: Rivalidade sadia não tem nada de violência, agressão física, é o respeito que tem que ficar a cima disso. A gente brinca bastante, é vice, é isso, é aquilo e a galera gosta muito. E é interessante ver também o lado psicológico dos vascaínos, que assim como o Flamengo tem com o Universidad do Chile, eles têm esse nervosismo com a gente e, são coisas do futebol.

Um clássico que te marcou positivamente e um que te marcou negativamente.

PM: O que mais me marcou nesse período que eu comecei a acompanhar mesmo o futebol, de 2004 para cá, foi um três a um, com um gol do Leandro Amaral e eu estava no Maracanã, porque foi uma festa muito grande, já que o Vasco tava num momento difícil e deu uma embalada no Campeonato Brasileiro de 2006 e o Leandro tava despontando como um possível ídolo. O que me marcou negativamente foi o de 2010, o dois a um, gol do Vagner Love, onde o Vasco teve um pênalti no fim do jogo e, todos os jogadores reclamaram e, eu também sai com muita raiva da arbitragem.

RC: “E acaba de chegar São Judas Tadeu”, acho que eu não preciso falar mais nada. O Apolinho, Washington Rodrigues, anunciou e se concretizou pelos pés do Pet(kovic) e da mão da nação que empurrou aquela bola. Um jogo negativo... Na verdade teve um período muito chato que o Flamengo sofreu algumas goleadas com o Edmundo no Vasco, na década de 1990.

Um gol histórico.

PM: Aquele do Pedrinho, no cinco a um em 2000, quando o ele saiu provocando a torcida do Flamengo.

RC: O do Petkovic de falta em 2001.

Um ídolo.

PM: Dedé

RC: Zico

Um jogador do time rival que gostaria de ver no seu time.

PM: O Thiago Neves

RC: Juninho Pernambucano

Um palpite para o clássico.

PM: 2x0 para o Vasco, gols do Diego Souza e outro do Dedé

RC: 1x0 para o Fla, gol de mão do Deivid

Comentar notícia

Verificando informações

Esta matéria tem:

(1) comentário(s)

Autor:

Renato Croce


Obrigado a todos da Tupi pela matéria e por expor a rivalidade como ela deve ser! Muito bom!

Blogs e Colunas