Basquete

ELIMINATÓRIAS

Após partida atípica, Marquinhos lamenta derrota: 'Perdemos no segundo quarto'

Brasil foi derrotado e adiou a classificação para o Mundial

postado em 04/12/2018 09:04 / atualizado em 04/12/2018 13:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

FIBA/Divulgação
Um dos jogadores mais experientes da Seleção Brasileira, Marquinhos lamentou a baixa atuação defensiva da equipe comandada por Aleksandar Petrovic e ainda viu o segundo quarto como o momento decisivo na derrota por 94 a 67 para o Canadá, na segunda-feira, no Ginásio Wlamir Marques. O Brasil poderia se garantir no Mundial da categoria, mas adiou a vaga e agora tem a chance na repescagem, em fevereiro de 2019.

“Partida dura. Infelizmente começamos a partida bem, mas o final do primeiro quarto e começo do segundo não foi bom para a gente. A gente tentou fazer uma defesa agressiva mas tivemos muita dificuldade de defender contra o Canadá. A equipe deles foi muito bem e ofensivamente não conseguimos ser o que o Brasil vem sendo nessa eliminatória”, afirmou o ala.

“Essa partida a gente perdeu no segundo quarto. A equipe deles teve um aproveitamento altíssimo, abriu vantagem e, se deixar abrir vantagem no nível internacional, é difícil. Diferente do último jogo, o pessoal que veio do banco demorou para entrar no jogo e isso foi dificultando a nossa vida. Defensivamente tivemos muito problemas para defender a posição quatro deles que sempre estava levando a vantagem sobre a nossa defesa. Agora é pensar na próxima partida e tem que vencer Ilhas Virgens para classificar”, analisou.

Além disso, Marquinhos lamentou o resultado, que impede o Brasil de garantir vaga adiantada no Mundial da China de 2019, pela mensagem que o Brasil deixou para a sua torcida e pelo alto número de pontos cedidos para os canadenses.

“A decepção fica na mensagem que a gente quer dar para o nosso torcedor. Não conseguimos defender, o que não é a filosofia do técnico. Defensivamente a gente estava muito aquém. Pode falar entrosamento, tempo de treno, mas não é desculpa. Sofrer 94 pontos no nível internacional é muita coisa e a gente não pode sofrer isso”, declarou.

“A partida de basquete tem disso. Uma equipe às vezes não corresponde o que é esperado. Combinamos de vir com muita energia, defender, tirar a força da defesa deles, mas tomar 94 pontos em um jogo internacional é muito difícil. Creio que não faltou disposição e energia. Foi uma partida atípica, que não acontece muito. Claro que queríamos ganhar, se classificar dentro de casa”.