Mais Esportes

NATAÇÃO

Ansiedade para nadar com o ídolo

Atletas do clube festejam a chance de ver de perto um dos principais velocistas do esporte mundial e esperam aproveitar convívio para aprender e evoluir

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/03/2014 09:29

Renan Damasceno / Estado de Minas

Túlio Santos / EM DA PRESS
Novo atleta do Minas, Cesar Cielo esteve pela última vez nas piscinas do clube em 2011, durante o Troféu José Finkel, quando defendia o Flamengo. O nadador voltava ao Brasil depois de conquistar duas medalhas de ouro no Mundial de Xangai: defendeu o título dos 50m livre e a primeira de duas conquistas nos 50m borboleta – títulos obtidos na semana seguinte ao julgamento na Corte Arbitral do Esporte, que o inocentou por ter sido flagrado no antidoping pelo uso do diurético furosemida.

A confirmação da vinda do atleta para o clube, ontem, motivou os jovens atletas que treinam diariamente – são 48 na equipe profissional e mais de 300 nas categorias inferiores. Para o ex-nadador André Teixeira, atual treinador de velocidade do juvenil e juniores, a simples presença de um campeão já é suficiente para a mudança de postura dos mais jovens. “Na semana passada, por exemplo, tivemos uma palestra com o Nicolas Oliveira (outro nadador do clube). A partir de algumas palavras dele já foi possível perceber a mudança de comportamento dos meninos na piscina”, exemplificou Teixeira, medalhista de bronze com o revezamento 4x100m no Mundial de Roma’1994. “A minha geração cresceu se espelhando no Ricardo Prado (prata nos 400m medley em Los Angeles’1984), e eu sei como é importante ter exemplos vitoriosos para formar gerações vencedoras.”

O discurso dos jovens é bastante parecido: ter o ídolo por perto será uma grande inspiração. Para Eduardo Mariano, de 15 anos, medalhista brasileiro nos 200m borboleta da categoria, a experiência será muito positiva. “Vai ser legal, pois vai nos motivar a nadar melhor. Vou chegar mais cedo para observar os movimentos dele, a velocidade na saída. Vai ser uma grande inspiração.”, comentou.

Teresa Nogueira Ribeiro e Luiza Moreira Lanza, ambas de 15 anos, aproveitaram a vinda de Cielo em 2011 para tirar fotos com o campeão. Agora, querem aproveitar cada minuto da convivência. “A cada vitória dele a gente se emocionava, torcia. Quem não quer ser igual a ele?”, pergunta Teresa. “A gente sempre o viu como ídolo e será uma grande inspiração tê-lo por perto”, comenta Luiza.

DE RIVAL A PARCEIRO Em 2011, quando o Minas sediou o Troféu José Finkel, o nadador mineiro Ítalo Manzine Duarte, então com 19 anos, do Mackenzie, viveu uma emoção diferente. Na eliminatória da prova dos 50m, depois se ter problema no bloco de largada, o jovem pulou sozinho na piscina e cravou 22s97, apenas cinco décimos a mais que o ídolo havia feito – o tempo mais rápido. Hoje no Minas, Ítalo comemora o fato de nadar com Cielo. “Ele é o mais rápido dos 50m livre, que é minha prova. Via ser uma aula por dia treinar ao lado dele.”

MEMÓRIA
Tradição de reforços olímpicos
Cesar Cielo pode ser o primeiro brasileiro medalhista olímpico a reforçar o Minas (Marcos Mattioli, bronze no revezamento 4x200 livre nos Jogos Olímpicos de 1980, foi formado no clube), mas atletas de outros países que brilharam na principal competição do planeta já defenderam os clube em competições como os troféus José Finkel e Maria Lenk – é tradição entre as principais forças da natação brasileira trazer atletas especificamente para este tipo de disputa. Foi o caso das holandesas Inge Dekker e Frederike Heemskerk (campeãs do revezamento 4x100m em Londres’2012), de Kirsty Coventry, do Zimbábue (dona de sete medalhas olímpicas – um ouro e três pratas em Pequim’2008; um ouro, uma prata e um bronze em Atenas’2004); além do tunisiano Oussama Mellouli (ouro nos 1.500m livre em Pequim’2008).

TIME DE FERAS
Cesar Cielo é mais um de uma lista de grandes nadadores brasileiros a defender o Minas, atual tricampeão do Troféu José Finkel, vencedor do Maria Lenk e dono de uma série de títulos nacionais e internacionais desde as categorias de base:
. Rogério Romero
. Thiago Pereira
. Teófilo Laborne
. Alexandre Massura
. Poliana Okimoto
. Fabíola Molina
. Marcos Mattioli
. André Cordeiro