CLÁSSICO

Lance geniais definem empate entre Atlético e Cruzeiro em clássico recheado de cartões

Primeira partida da semifinal entre os rivais terminou empatada em 1 a 1

postado em 12/04/2015 17:49 / atualizado em 12/04/2015 21:12

{'id_site': 1, 'imagem_destaque': 'ns1/app/foto_126510467054/2015/04/12/6676/20150412165740626915e.JPG', 'id_content': 3083433L, 'url': 'https://www.superesportes.com.br/app/1,224/2015/04/12/galeria_interior,6676/imagens-do-classico-entre-atletico-e-cruzeiro-no-independencia.shtml', 'titulo_destaque': 'Imagens do cl\xe1ssico entre Atl\xe9tico e Cruzeiro no Independ\xeancia', 'samesite': True, 'id_pk': 6676L, 'id_conteudo': 3083433L, 'id_aplicativo': 11, 'meta_type': 'foto', 'titulo': 'Imagens do cl\xe1ssico entre Atl\xe9tico e Cruzeiro no Independ\xeancia', 'id_treeapp': 224, 'descricao_destaque': 'Fotos do jogo v\xe1lido pela primeira semifinal do Campeonato Mineiro', 'schema': 'foto_126510467054'}Duas gotas de genialidade em um mar de briga e confusão. Em lances de puro talento, Guilherme e Arrascaeta - para ser justo, mais o segundo do que o primeiro - desequilibraram no empate entre Atlético e Cruzeiro, por 1 a 1, neste domingo, no Independência. O meia do Galo achou Luan livre, que só teve o trabalho de tocar para Carlos abrir o placar no primeiro tempo. Na etapa final, o uruguaio celeste empatou em um gol digno de placa: cercado por cinco atleticanos, passou com facilidade, com direito a uma humilhante caneta em Josué, e finalizou de forma certeira. No mais, pouco futebol no clássico. Prova disso são os 11 cartões distribuídos durante os noventa minutos.

Com o resultado, o Cruzeiro leva a vantagem para a segunda partida da semifinal, no Mineirão. Um empate dá a vaga à Raposa na decisão. O Galo precisa de uma vitória simples. A data da partida decisiva ainda não foi decidida pela Federação Mineira de Futebol (FMF). A diretoria celeste quer jogar no sábado, já que tem compromisso pela Libertadores na terça-feira (21).

Os rivais mineiros agora voltam as atenções para a Copa Libertadores. Ambos deixam o Independência e seguem para o Aeroporto de Confins. O Galo, que embarca às 23h, vai para o México, onde enfrenta o Atlas, ao passo que a Raposa viaja às 22h para a Argentina, onde enfrenta o Huracán.

Na escalação, surpresa de ambos os lados. O atacante Lucas Pratto, um dos destaques alvinegros neste início de temporada, foi poupado em função de desgaste muscular. No lado celeste, o lateral Mayke foi preterido por Fabiano por opção do técnico Marcelo Oliveira.

Atlético abre o placar em um 1º tempo de muitos cartões

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
A etapa inicial foi marcada por muita luta e entrega, mas por pouco futebol. Atlético e Cruzeiro fizeram um início truncado, com muitas faltas. O árbitro paulista Raphael Claus não economizou nos cartões e distribuiu sete amarelos: quatro para o Atléitico (Rafael Carioca, Jemerson, Dátolo e Josué) e três para o Cruzeiro (Leo, Mena e Paulo André). A bola pouco rolou nos 45 minutos iniciais. Prova disso é que, segundo estatística, em 50% do tempo o jogo ficou parado.

Com a bola rolando, a Raposa teve vantagem nos minutos iniciais. O time de Marcelo Oliveira aproveitou, sobretudo, o lado esquerdo de ataque. A primeira grande chance do jogo apareceu aos oito minutos, com Damião. Boa trama pela esquerda, com Alisson e Mena, que cruzou na cabeça de Damião. O centravante celeste acertou a trave.

Aos poucos, contudo, o Atlético foi igualando o jogo. O Galo começou a insistir nas jogadas aéreas. E em um cruzamento o time alvinegro quase abriu o placar, aos 19 minutos. Luan cruzou e Guilherme, sozinho, desviou para fora. Quando o primeiro tempo caminhava para o 0 a 0, Guilherme desequilibrou com um lançamento preciso para Luan, que achou Carlos livre na área para abrir o placar: 1 a 0.

Cruzeiro empata com golaço de Arrascaeta

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
Atrás no placar, o Cruzeiro voltou mais ofensivo. Para isso, o técnico Marcelo Oliveira promoveu a entrada do lateral-esquerdo Fabrício, na vaga de Mena. O ex-jogador do Inter fez a sua estreia com a camisa estrelada. Assim como na etapa inicial, a Raposa começou melhor.

Logo aos 10 minutos, Arrascaeta brilhou, marcou um gol de placa e empatou a partida. Cercado por cinco adversários, o uruguaio aplicou uma caneta humilhante em Josué - um dos piores em campo -, furou a marcação do Atlético e chutou cruzado, no canto do goleiro Victor: 1 a 1.

Depois do gol, o futebol voltou a dar lugar a muita confusão. O árbitro Raphael Claus teve atuação contestada pelas duas torcidas. Aos 17 minutos, Leonardo Silva foi expulso após pontapé no atacante Leandro Damião. O Cruzeiro não conseguiu aproveitar a vantagem numérica para virar o placar.



Atlético 1 x 1 Cruzeiro

Atlético
Victor, Marcos Rocha (Patric), Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Josué (Edcarlos), Rafael Carioca, Luan, Dátolo e Carlos (Cárdenas); Guilherme
Técnico: Levir Culpi

Cruzeiro
Fábio; Fabiano, Leo (Manoel), Paulo André e Mena (Fabrício); Willians e Henrique; Willian (Gabriel Xavier), De Arrascaeta e Alisson; Leandro Damião
Técnico: Marcelo Oliveira

Gols: Carlos (39 minutos do 1º tempo) e Arrascaeta (9 minutos do 2º tempo)
Cartão amarelo: Rafael Carioca, Jemerson, Dátolo, Josué e Marcos Rocha (Atlético). Leo, Mena, Paulo André, Leandro Damião e Willian (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Leonardo Silva (Atlético)
Motivo: primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro
Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: domingo, 12/04/2015, às 16 horas
Árbitro: Raphael Claus (Fifa/SP)
Assistentes: Alessandro Mattos (Fifa/BA) e Rodrigo Corrêa (Fifa/RJ)

Público e renda: 16.156 e R$ 742.045

Tags: cruzeiroec atleticomg cartões recheado clássico cruzeiro atlético definem geniais lance