Basquete

UniCeub/BRB perde para Limeira, na Asceb, e é eliminado do Novo Basquete Brasil

Pela terceira vez consecutiva, candangos caem nas quartas de final

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 30/04/2015 01:26 / atualizado em 30/04/2015 01:31

Vítor de Moraes /Correio Braziliense

Carlos Vieira/CB/D.A Press

Não é fácil acreditar que a chance do tricampeão do Novo Basquete Brasil (NBB) eliminar quem nunca venceu uma série de play-offs seria zebra. Mas era e o animal listrado não apareceu, na noite desta quarta-feira, no Ginásio da Asceb. O UniCeub/BRB até mordeu um jogo em Limeira (o segundo), mas caiu duas vezes em casa e foi eliminado nas quartas de final. Pela terceira vez consecutiva. Em Brasília. A dose final do comprimido do adeus foi engolida ontem: 89 x 76.

O tricampeão foi o décimo na fase classificatória. O Limeira, o segundo. O choro comovente de Guilherme Giovannoni no dia da vitória brasiliense sobre o Pinheiros, nas oitavas, que mandou o sogro do ala-pivô (o técnico Marcel de Souza) embora do NBB, representa bem a dificuldade desta temporada. Foi arrastada, cheia de buracos na estrada. E de algumas ilusões. Esta foi a primeira vez no NBB que o UniCeub/BRB precisou disputar as oitavas. Resultado da pior campanha da equipe na competição — os quatro primeiros na tabela evitam a primeira rodada e vão direto às quartas.

Uma vitória em São Paulo, na semana passada, seria a chave para fechar a série em Brasília. Mas, aí, apareceu o Limeira. A equipe do perigoso trio David Jackson-Nezinho-Ronald Ramon. E até quem havia sido coadjuvante, na equipe paulista, foi estrela ontem. Bruno Fiorotto, por exemplo, foi autor de um duplo-duplo (13 pontos e 10 rebotes).

Nem a vantagem no primeiro tempo (por 41 x 39) animou o UniCeub/BRB. O Limeira só conseguiu virar o placar a três minutos do fim do terceiro período — costumeiramente o menos produtivo dos brasilienses ( a parcial foi de 19 x 27). O tudo ou nada foi o lema do time de José Carlos Vidal no quarto derradeiro. Guilherme Giovannoni acertou a tabela em um arremesso de três pontos. Logo em seguida, Kyle LaMonte tentou outro de trás da linha e não acertou nem o aro. Do outro lado, Teichmann fazia cestas de costas.

O capitão Giovannoni costuma ser o termômetro do UniCeub/BRB. Depois de tentar uma enterrada e tomar um esbarrão, o que o fez perder os pontos, o ala-pivô perdeu a calma. Foi punido com falta técnica, mas continuou a reclamar com o árbitro José Carlos Pelisari mesmo com a bola em jogo. Hayes, livre, aproveitava para completar mais uma enterrada para o Limeira.

Ao fim, os jogadores saíram sem falar com a imprensa. Muitos chorando. Giovannoni foi até a torcida e deu o par de tênis usado na eliminação. Em silêncio, os visitantes se abraçavam e comemoravam . Agora, o Limeira espera o vencedor da série entre Flamengo e São José para conhecer o próximo adversário. O rubro-negro vence por 2 x 1 e pode fechar hoje, às 19h30, fora de casa.