Futebol Nacional

Atletiba no YouTube inaugura era de transmissões esportivas ao vivo no Brasil

Times não chegaram em acordo pelos direitos de TV e decidiram abrir o sinal para a internet

postado em 19/02/2017 06:00 / atualizado em 18/02/2017 19:38

Coritiba CFC

As transmissões ao vivo em plataformas on-line funcionam há seis anos. O mercado esportivo global começou a desbravá-las nas últimas três temporadas, mas só agora foi quebrada a grande fronteira no Brasil: hoje, dois times da primeira divisão nacional se enfrentarão, no nobre horário da tarde de domingo, com transmissão exclusiva pelo YouTube. Os pioneiros são Atlético-PR e Coritiba, que se enfrentam às 17h, pela quinta rodada do estadual.

A transmissão começará às 16h30 e acabará logo após o fim do jogo. O sinal será livre nos canais oficiais dos rivais — youtube.com/tvatleticopr e youtube.com/coritibaoficial —, com comentários dos ex-jogadores Ademir Alcântara, ídolo do Coxa, e Gustavo, campeão brasileiro pelo Furacão. As entrevistas coletivas serão exclusivas dos canais de cada um.

A ideia partiu do Coritiba, que procurou o Atlético no início do mês, após algumas consultas no mercado. As diretorias fecharam o acordo na sexta-feira. Os times consideraram muito baixo o valor pago pela TV Globo pelos direitos de transmissão do Campeonato Paranaense para TV aberta e decidiram apostar na nova ferramenta.

Com a pressa, ainda há detalhes a serem acertados, mas os clubes apostam em uma boa recepção por parte dos torcedores. “Os nossos aprovaram a ideia, já que, pela falta de como acompanhar a partida, a escolha será interessante”, aponta Rogério Bacellar, presidente do Coritiba. “Fizemos isso porque o valor oferecido pela TV para transmitir o jogo é menos de 50% do que nos foi pago no ano passado”, explica. A oferta da Globo teria sido de R$ 1 milhão.

Surfe, tênis, golfe...


Desde 2015, o YouTube transmite para o Brasil a Copa do Rei, principal competição de mata-mata da Espanha. O Google, proprietário do site, adquiriu os direitos de transmissão exclusivos para 17 países, cobrando R$ 9,90 por jogo no mercado nacional. A ferramenta já havia conseguido boa exposição com o esporte na Liga Mundial de Surfe (WSL), exibida ao vivo desde 2014, ano marcado pelo título inédito do brasileiro Gabriel Medina.

O principal concorrente do YouTube é o Twitter, que tem um contrato de transmissão global da National Football League (NFL), a maior liga de futebol americano dos Estados Unidos, com direito a uma partida às quintas-feiras. Além do principal produto, a rede social comprou os direitos do PGA Tour, principal torneio de golfe dos EUA; do Torneio Seis Nações, que reúne a elite do rúgbi mundial; do Aberto da Austrália, primeiro grand slam do circuito de tênis na temporada; e de jogos semanais das ligas de beisebol (MLB) e de hóquei no gelo (NHL).

Terceiro site mais visitado do mundo — atrás apenas de Google e YouTube —, o Facebook vem atrás no assunto. Desde 2014, há a transmissão de ao menos um jogo por semana do Novo Basquete Brasil (NBB), além da série final da Liga Ouro, a “segunda divisão” do basquete nacional. No futebol, o Facebook Live só estreou no ano passado, na estreia da americana Alex Morgan pelo Orlando Pride, contra o Houston Dash. Times brasileiros usaram a plataforma para transmissão de partidas da Copa do Brasil Sub-17, mas ainda não foram além.